Ferramentas
Logar

LOADING
PREV
NEXT
http://www.rionegocios.com.br/portal/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/879517man.png

Destaques

  • Seja bem vindo a Rio Nego…

Seja bem vindo a Rio Negocios

Seu espaço na internet para mostrar a sua empresa e seus negócios.

Saiba mais
Você está aqui: Home
Sábado, 18 Nov 2017

Novos

Marketing social é diferencial para organizações e empresas.

Nossa sociedade vem apresentando muitos problemas neste final de século. A fome, guerra, o desmatamento, a violência e, além do...

Saiba mais

Popular

A informática e a organização empresarial

É típico da natureza humana ter resistência ao novo.Em todas as eras da nossa história as novidades provocaram diversas reações...

Saiba mais

B2B ou B2C?

B2B ou B2C?

Os termos são antigos e segundo as definições...

Saiba mais

Parceiros

Banner
Banner
Banner

Pesquisa

Segurança da informação não é impedimento para consumidores no ambiente digital, aponta pesquisa

 

Pesquisado SAS, especializada em Analytics, apontou que apenas 62% dos consumidores estão preocupados em como as empresas utilizam seus dados pessoais. Além disso, 28% deles acreditam não ter qualquer controle sobre o uso dessas informações, contra os poucos 10% que acreditam ter controle total. As informações são do estudo do SAS, “Mobilidade, Vulnerabilidade e o Estado de Privacidade de Dados”, por meio de pesquisa online com 4.368 consumidores em 15 países.

 

A pesquisa também mostrou que seis em cada dez consumidores (63%) se mostraram mais preocupados após grandes casos de roubo e violação de dados, especialmente em agências governamentais e websites financeiros. Em pesquisa semelhante de 2014, o número de respondentes preocupados era de 77%.

A idade, renda e sexo dos participantes desempenharam papéis importantes nos resultados. As mulheres de maior renda e idade acima dos 40 anos se mostraram mais propensas a preocupações com o uso de dados pessoais; e são as mais desconfiadas com a segurança nos dispositivos de uso diário. Em relação aos dados coletados por meio de smartphones, tablets e computadores pessoais (PCs), seis em cada dez consumidores expressaram dúvida quanto a segurança dos dados coletados. A preocupação é significantemente menor quando se trata de wearables (ex: relógios conectados) e dispositivos de monitoramento e geolocalização em lojas físicas.

Confiança digital

Quanto mais ativo o consumidor é nos meios digitais, maior a preocupação. Aqueles que mostraram hesitação sobre o uso de seus dados pessoais por empresa foram também os mais propensos a utilizar a internet, especialmente via conexões móveis. Esses acessos foram impulsionados principalmente pela busca de informações a respeito de produtos e serviços; efetuamento de compras e reservas; visitação em websites de lazer e entretenimento; contato com amigos e familiares; e pesquisas de cupons de desconto e promoções.

O estudo apontou ainda que, em troca de descontos e ofertas personalizadas, mais de dois terços dos respondentes estariam dispostos a fornecer o nome completo e o contato de e-mail. Quando se trata de ofertas especiais em determinados eventos do ano, como aniversários e feriados comemorativos, 42% dos respondentes também forneceriam a data de nascimento para recebê-las.

Uma das exceções desse comportamento é o uso de sistemas de pagamento móvel. Apenas 30% dos respondentes afirmaram utilizar a ferramenta. O maior gargalo apontado para adotar o uso ainda é a sensação de segurança. Nesse caso, a preocupação acerca dos dados está influenciando a adoção de pagamentos móveis.

Os consumidores estão colocando grande parte da responsabilidade de seus dados pessoais com as empresas, embora a percepção de aproximadamente 70% deles é que as empresas não estariam  mantendo a parte delas no acordo quanto à segurança. Do mesmo modo, os respondentes não sentem que as empresas estão sendo claras e comunicativas sobre as mudanças de política em relação ao uso dos dados pessoais.

Por outro lado, os consumidores também têm se mostrado indiferentes quando se trata de proteger a privacidade. Apenas 13% dos respondentes se mostraram propensos a ler os termos de uso e políticas de privacidade antes de fazer um download de aplicativo e software, ou até mesmo antes de fazer uma compra online – mesmo clicando na caixa de confirmação de leitura e consentimento.

Provavelmente, isso ocorre por que as empresas não apresentam termos e políticas fáceis de ler. Metade dos consumidores já abandonou transações por causa da difícil compreensão desses termos. Apesar de muitos terem apontados a extensão e a complexidade dos termos entre os motivos, a principal preocupação citada foi a privacidade, mesmo depois de ler as informações de uso.

Segundo Wilson Raj, diretor global de Customer Intelligence do SAS, os negócios precisam ser digitalmente confiáveis na visão dos consumidores. Para chegar a esse ponto, são necessários executivos de nível C (Ex: CEO; CTO; CIO) com expertise digital. “A confiança começa na sala de reuniões, onde a privacidade deve ser prioridade de decisão”, diz ele.

“Os corpos diretivos das empresas precisam implementar políticas para coleta, compartilhamento e uso de dados, colocando em prática processos para garantir o compliance. As companhias precisam ser claras e definir objetivamente como a administração de dados impacta a confiança do público com a marca”, conclui Raj.

Para ver a pesquisa completa, acesse o link: http://www.sas.com/en_us/whitepapers/mobility-vulnerability-state-of-data-privacy-108097.html

Segurança da informação

  Segurança da informação não é impedimento para consumidores no ambiente digital, aponta pesquisa   Pesquisado SAS, especializada em Analytics, apontou que apenas 62% dos consumidores estão preocupados em como as empresas utilizam seus...

Saiba mais